Banco Mercantil do Brasil torna público seu rating pela agência de risco Fitch

Atualizado: 13 de Mai de 2019

Primeiro banco da América Latina a ser certificado pela ISO 9001 e eleito melhor empresa para se trabalhar em Minas, o BMB registrou crescimento de 63% no resultado operacional em 2018.

O Banco Mercantil do Brasil S.A. (BMB) dá mais um exemplo de transparência no relacionamento com seus stakeholders e comunica a seus acionistas e ao mercado que tornou pública a nota de classificação de rating da Fitch Ratings, uma das mais tradicionais agências de classificação de risco de crédito do mundo.  O rating atribuído ao Banco pela agência é BB (bra), com perspectiva estável. 


Conforme relatório, os principais fundamentos para atribuição desta nota são as estratégias de reforço de capital e capacidade da empresa de atingir ganhos de eficiência em gestão de despesas, bem como uma confortável posição de liquidez e ampla base de clientes.


Diversas medidas estão sendo adotadas para dar continuidade à estratégia de crescimento do banco. Entre elas, melhoria das receitas, diminuição das despesas e execução de projetos que garantem o foco no cliente, como a abertura de agências e investimento constante em tecnologia. A conquista reflete o bom desempenho do banco em 2018, que teve um salto significativo de 63% no resultado operacional, sendo que o lucro antes da tributação quase que dobrou no ano passado, se comparado com 2017. 


Em 2018, o Mercantil do Brasil também se fortaleceu com duas conquistas de peso, ao ser considerado a melhor empresa para se trabalhar em Minas Gerais pelo Instituto Great Place To Work (GPTW); e o primeiro banco da América Latina a ser certificado pela ISO 9001, que reconheceu a qualidade dos fluxos de atendimento a beneficiários do INSS adotados pela empresa no pagamento de benefícios, na abertura de conta e na oferta de produtos e serviços. As conquistas são resultado do investimento constante do BMB em melhorias no ambiente de trabalho e nos processos da empresa.


Ponto que merece destaque e que teve impacto direto no aumento do resultado operacional foi a queda de todas as despesas. As despesas de provisão, por exemplo, caíram 20% em 2018, em função do trabalho minucioso do banco na seletividade para a concessão de crédito, o que levou a curva da inadimplência a um patamar de mercado.


A despesa administrativa caiu 15% em 2018, mesmo com a abertura de novos pontos de atendimento no interior de São Paulo. "Esse resultado espelha a eficiência do Mercantil do Brasil na otimização e melhoria de processos internos e no investimento em inovações tecnológicas, como o Domo Digital, um espaço onde a equipe de TI do MB trabalha lado a lado com startups para acelerar e modernizar processos, produtos, serviços e canais de atendimento", comenta o diretor Executivo Financeiro, Gustavo Araújo. 


O lucro líquido do banco também merece destaque: R$ 53 milhões, um crescimento de 103% no comparativo com 2017. A fórmula de um banco descomplicado e eficiente, que já é marca do Mercantil do Brasil, garante não só resultados positivos mas também o fortalecimento da organização. Isso é demonstrado, por exemplo, pelo crescimento contínuo na base de clientes ativos: cerca de 2,3 milhões. 


A solidez do MB é refletida no Índice de Basileia confortável de 15,91% e na confiança dos investidores: a captação em Letra Financeira Subordinada (LFS) deu novo salto em relação a 2017 e alcançou R$ 290 milhões, um aumento de 36%. Já o carro-chefe da organização, o CDB, apresentou expansão de mais de R$ 450 milhões na base. O saldo final é de quase R$ 6 bilhões em captações.


E os investimentos continuam. Em 2019, a projeção do Mercantil do Brasil é crescer ainda mais com a execução de um Plano de Negócio que vai fortalecer a atuação do banco no varejo em todos os públicos: INSS, Pessoa Física e Pessoa Jurídica.