top of page

Mapa do sucesso: as estratégias por trás do crescimento dos MPNs

O diretor de Micro e Pequenos Negócios da TOTVS, Ramon Martins, fala sobre a estruturação e potencialização dos micros e pequenos negócios e fornece dicas e informações sobre tecnologias que podem auxiliar no crescimento dessas empresas.


A retomada da economia é uma realidade. Os transtornos causados pela pandemia são inquestionáveis, mas os efeitos positivos do avanço da vacinação, tanto para a sociedade quanto para a economia, já indicam que os resultados deste ano serão positivos. Claro, ainda é cedo para bater o martelo em meio um cenário volátil. Mas, observando as micros e pequenas empresas é possível perceber uma estruturação e potencialização dos negócios.


Segundo uma pesquisa do Sebrae, com auxílio dos registros do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério da Economia), dos 2,7 milhões de empregos formais gerados em 2021, 2,1 milhões foram advindos de micro e pequenas empresas. Esses MPN’s foram responsáveis por quase 78% das vagas com carteira assinada computados no ano passado, reforçando o quanto os micros e pequenos negócios foram potencializados.


Um fator que contribuiu bastante para o crescimento desses novos negócios é a tecnologia. A pandemia serviu de catalisador para que as empresas investissem ou acelerassem os projetos de transformação digital, a fim de atender a demanda e seguirem operando conforme o cenário imposto. E, esse processo também se aplicou às micro, pequenas e médias empresas, que rapidamente se encaixaram ou se adequaram ao novo cenário e buscaram por soluções e tecnologias que incrementassem suas atuações – no físico e no digital.


As pequenas e médias empresas, que estão começando ou não, precisam se apoiar inicialmente em um bom sistema integrado de gestão empresarial. Por terem uma operação mais enxuta, a implementação desse tipo de ferramenta será mais rápida e dará ainda mais agilidade e produtividade aos fluxos. O ERP trará a organização necessária para gerir o estoque e os pedidos, gestão de backoffice, controle financeiro e a apoio a regulamentação fiscal – uma vez que esses sistemas já são desenvolvidos respeitando e aplicando as diretrizes e normas fiscais do país.


Outro ponto que tem crescido é o e-commerce. Investir em uma boa plataforma de e-commerce faz a completa diferença nos negócios. Há plataformas que permitem a customização do site, conforme o design da marca; disponibiliza painéis de acompanhamento, com informações e métricas para o negócio; assim, como a adição de ferramentas e API’s adicionais para incrementar a gestão e funções do site.


Para apoiar e incrementar ainda mais as vendas e, mais do que isso, proporcionar uma boa experiência para os clientes e, por consequência, fidelizá-los, é preciso investir numa estratégia de marketing digital consistente. E, para isso, os dados podem ser grandes aliados. A partir de plataformas e ferramentas, como Customer Data Platform (CDP), é possível extrair dados, construir padrões e segmentações que irão apoiar decisões da empresa e, também, planejar interações e comunicações voltadas ao cliente de forma personalizada. A partir disso, a marca consegue se comunicar de forma mais assertiva e proporcionar experiências de compras mais proveitosas.


E se há comunicação, é preciso saber em quais canais se estabelecer. Nesse sentido, a consultoria Forrester observou que 74% dos clientes consideram essencial a existência de múltiplos canais – estratégia omnichannel – para tornar a experiência com a marca satisfatória, assim como um fator de conveniência na disponibilidade de opções no momento da compra. Abrir a possibilidade para que o cliente possa iniciar uma jornada online, via e-commerce, tirar dúvidas com o chatbot e poder finalizar a compra via WhatsApp, por exemplo, é um incremento de marca enorme para uma PME.


É notório que os micros e pequenos negócios ainda encontrem alguma dificuldade ou acreditem estar muito longe de aplicar todas essas tecnologias e ferramentas em suas operações. Mas, é importante mapear quais são as necessidades que devem ser supridas e os objetivos a serem atingidos; dessa forma, é possível pesquisar e entender quais são as soluções e os fornecedores que irão atender, incrementar a produtividade e apoiar o crescimento dos negócios. Empresas que investem em crescimento orgânico, que acompanham e prezam pela saúde e sustentabilidade dos negócios, estão no caminho do sucesso.


Por Ramon Martins, diretor de Micro e Pequenos Negócios TOTVS

Comments


bottom of page