top of page

Marca pessoal: 7 passos para construí-la e utilizá-la para o sucesso profissional

Em um mundo saturado de talentos e competências, destaca-se aquele que consegue articular não apenas o que faz, mas quem é. Esta é a essência da marca pessoal, um conceito que transcende o currículo tradicional e que mergulha na narrativa única de cada indivíduo.


Marca pessoal é a impressão que você deixa no mundo; uma combinação única de habilidades, experiências e personalidade que você apresenta ao público. É o que as pessoas dizem sobre você quando você não está na sala, uma síntese de sua presença profissional e o impacto no ambiente de trabalho.


Pense em figuras como Steve Jobs e Oprah Winfrey, lembradas não apenas por suas realizações, mas pela essência de quem são. Jobs, com sua inconfundível personalidade e apresentações icônicas, transformaram a Apple em uma extensão de sua própria marca. Winfrey, com autenticidade e empatia, se tornou uma das personalidades mais influentes da mídia. Nestes exemplos, é claro que marca pessoal vai além do que fazem, refletindo personalidade e visão.


Cada geração aborda a marca pessoal de sua forma. Enquanto os profissionais da geração X (nascidos entre 1965 e 1981) buscam estabilidade e acúmulo de experiências, os millennials (nascidos entre 1981 e 1995) priorizam propósito e autenticidade. Os da geração Z (nascidos entre a segunda metade da década de 1990 e o ano de 2010), por sua vez, são conhecidos por sua criatividade e habilidade digital. Para construir a sua marca, basta entender o que faz sentido para a sua realidade e o seu propósito. Deixo, a seguir, as minhas recomendações.


7 passos para construir sua marca pessoal

Com base em minhas experiências e conhecimento ao longo desses anos, seja na vida acadêmica, no mundo corporativo ou no empreendedorismo, destaco sete recomendações para que você construa e solidifique a sua marca pessoal:


1) Seja autêntico: sua marca deve ser um reflexo verdadeiro de quem você é. Seja consistente em suas mensagens e ações;


2) Conte a sua história: use suas experiências para mostrar a sua jornada profissional – como chegou onde está e para onde está indo?;


3) Construa a sua rede: relacionamentos são cruciais para o sucesso – conheça e se conecte com profissionais e líderes de sua área de atuação, com respeito e trocas genuínas;


4) Mostre o seu valor: não apenas liste suas habilidades, mas também demonstre como você as utilizou para alcançar resultados reais;


5) Mantenha-se atualizado: o mundo está em constante evolução e sua marca também deve evoluir. Continue aprendendo e se adaptando às demandas do mercado;


6) Use as mídias sociais de forma assertiva: plataformas online são essenciais para comunicar a sua marca. Seja ativo, compartilhe suas ideias e interaja com a sua comunidade;


7) Peça feedback: saiba como os outros percebem a sua marca, pois isso pode ajudar a ajustar e refinar, de forma constante, a sua abordagem.


Criar uma marca forte não é apenas sobre autopromoção, mas sobre contar a sua história de maneira que ressoe com os outros e destaque algo que o torna único.


Ao investir em sua marca pessoal, você não apenas aumenta suas chances em processos seletivos para posições de liderança, mas também define o caminho para uma carreira de impacto e significado. Lembre-se: a sua marca pessoal é o seu maior ativo. Cultive-a e veja as oportunidades se abrirem diante de você.



Por Virgilio Marques dos Santos é um dos fundadores da FM2S, doutor, mestre e graduado em Engenharia Mecânica pela Unicamp e Master Black Belt pela mesma Universidade.

コメント


bottom of page