Philip Morris Brasil está entre as empresas mais inovadoras do país

Premiação reflete o trabalho realizado em parceria com

startups para solucionar desafios do negócio

A Philip Morris Brasil (PMB) foi premiada, entre as empresas do Top 50 Open Corps. O ranking é organizado pela 100 Open Startups – uma plataforma internacional de impacto na geração de negócios entre grandes companhias e startups. O objetivo é identificar as empresas que promovem o maior engajamento, colaboração, contratação e investimentos com novos negócios.


Para Leonardo Sotocorno, gerente de TI da Philip Morris Brasil, a premiação é o resultado dos esforços empregados nos últimos anos, para tornar a PMB uma empresa inovadora. “Para uma companhia de um setor tão tradicional e que está imersa num processo tão grande de transformação, estar entre as empresas mais inovadoras do Brasil é um grande orgulho. A premiação é um marco em nossa história.”


Na busca pela inovação, a PMB está envolvida, atualmente, em vários projetos em parceria com startups. Entre eles, um dos destaques é o Portal VemSer. Iniciado em meados de 2018, ele tem o objetivo de ser a plataformadigital de relacionamento e captura de pedidos dos varejistas que comercializam os produtos da empresa.


O projeto iniciou internamente por uma squad, equipe formada por pessoas de diferentes áreas, em conjunto com a startup RoundPegs, responsável por estudar o comportamento dos varejistas e propor uma solução com a melhor experiência para o usuário, visando a conversão e retenção desses parceiros.


O projeto, que teve início com menos de 50 varejistas, foi expandido para 400 e, hoje, já conta com mais de 5.000 pontos de venda que utilizam a ferramenta semanalmente. “O nosso varejista pode fazer seu pedido com apenas três cliques ou escolher a opção de reabastecimento automático, sem nenhum clique”, explica Sotocorno.


A PMB também está envolvida em diversas outras frentes, com hubs de inovação, como a própria OpenStartup, Distrito e o Habitat (Inovabra). A atuação ainda inclui aceleradoras, como a Liga Ventures, além de parcerias com o Centro de Estudos Avançados do Recife (CESAR) e startups ligadas ao Porto Digital de Recife, para serem propulsoras da inovação que a PMB quer gerar nos próximos meses.


Dentre essas iniciativas, estão:


Summer Job: programa coordenado pelo CESAR, com o objetivo de resolver problemas complexos das corporações, por meio de uma imersão de seis semanas. Cada grupo é formado por quatro estudantes universitários, focados na missão de sua squad. A squadPMB estuda os melhores meios digitais para beneficiar toda a cadeia de empresas de bens de consumo, desde a captura do pedido até a entrega efetiva do produto. Também são trabalhadas potenciais sinergias em programas de fidelidade.


Hackathon: organizado e conduzido pelo próprio Porto Digital, este programa será uma maratona de 72 horas ininterruptas de programação, que acontecerá ao final de setembro, para o desenvolvimento de um algoritmo de machine learning capaz de aprimorar o sistema de recomendação automática de pedidos da empresa para o varejista.


Experimentos: diversas iniciativas com startups das mais diferentes frentes fazem parte do dia-a-dia da PMB, desde suporte ao processo de recrutamento, com uso de inteligência artificial, até startup LawTechpara acompanhamento online de processos.