STARBUCKS PICKUP! Inovação na veia!


Nos últimos 5 anos que venho trabalhando com grandes empresas nacionais e internacionais a STARBUCKS sempre foi referência na sua profundas transformações recriando continuamente seu modelos de negócio.


O  CEO e presidente da empresa, Kevin Johnson, enviou à Security Exchange Commission – SEC documento com 5 folhas direcionado a todos os seus acionistas,  que a Starbucks fechará até 400 lojas operadas pela empresa nos próximos 18 meses.


Neste documento, o seu presidente ressalta que  a empresa fecha periodicamente cerca de 100 lojas nas Américas todos os anos, principalmente por causa de vencimentos de leasing e outras circunstâncias.


Esta decisão reflete um processo INOVADOR de mudança de modelo de negócio. Ou seja, a empresa está se reinventando e lançando as bases para uma “fase de transformação” que introduzirá um novo formato de loja conhecido como “Starbucks Pickup”.


A Starbucks Pickup atende clientes que preferem fazer pedidos antecipados e pagar através do aplicativo móvel Starbucks para retirada, ou àqueles que desejam que sua Starbucks seja entregue ao fazer um pedido pelo Uber Eats“.


A empresa acredita que esta transformação irá incrementar a experiência do cliente especialmente nos grandes centros e implicará em crescimento de longo-prazo para a empresa. Criando um ruptura no conceito criado pelo seu fundador Howard Schultz que acreditava que as lojas Starbucks eram “terceiro lugar” de escolha dos seus consumidores.


O conceito de loja no formato tradicional está se desmaterializando… O “terceiro lugar”será simbólico e não mais literal!


Isto tudo por causa da pandemia????

Lógico que não!


Antecipar mudanças de hábitos dos consumidores é atualmente a principal etapa do processo de inovação. Ela permite que as empresas antecipem mudanças e testem novos modelos de negócio. Na Starbucks foi exatamente isto que aconteceu.


Mesmo antes da pandemia acontecer os dados coletados pela empresa mostravam que nos últimos dois anos 80% das transações dentro das lojas operadas pela empresa eram “to go” (retiradas)


Como isto acontecia?


O wi-fi gratuito dentro das lojas permitiu que a empresa coletasse dados que simulavam a mudança de comportamento dos seus consumidores. Com o advento do Coronavírus, a transformação acelerou. Simples, agora era colocar em prática o que já vinha sendo testado nos últimos anos.

O importante desta história de INOVAÇÃO é que antecipação em um mundo VUCA é fundamental para sobreviver.

3 dicas importantes para qualquer negócio que precisa se reinventar. Serão muitos!

  1. Quais as mudanças no comportamento do meu consumidor percebi nestes dois a 3 últimos anos? E depois da pandemia? O que mudou?

  2. É possível criar novas experiências para o meu consumidor? Tornando-as fáceis, acessíveis e convenientes?

  3. Qual o MINDSET da minha empresa? Ele  ajuda ou limita a perceber mudanças.


Por Solange Mata Machado é diretora-executiva da Imaginar Solutions. Doutora e mestre em inovação e competitividade pela FGV com pós-doutorado (pós-doctor) em neurociência aplicada à tecnologia pela UFMG. Engenheira elétrica com BS pela Universidade Columbia (EUA) e especialização em empreendedorismo e inovação pela Universidade Hitotsubashi (Japão), pela Universidade Renmi da China, pelo Technion – Instituto de Tecnologia de Israel, pela Universidade Yale (EUA), pela Babson College (EUA) e pela Creative Education Foundation (EUA). E contribui com o portal digital Business Leaders e palestrante do Business Leaders Fórum