Tecnologia: IoT alavanca setor de serviços no Brasil

Crescimento do setor é um fenômeno mundial que aparece como a mais nova força da geração de empregos, principalmente com o maior acesso à informação e o uso do IoT


O crescimento do setor de serviços é um fenômeno mundial que aparece como a mais nova alavanca da geração de empregos, principalmente com o maior acesso à informação e o uso do IoT (Internet das Coisas). De acordo com estudo do Sebrae, as expectativas são positivas para o setor de serviços, para os pequenos negócios e startups.

Segundo Paulo Spaccaquerche, presidente da ABINC - Associação Brasileira da Internet das Coisas, o mundo está passando por uma revolução tecnológica que já está transformando a forma em que as pessoas vivem e, consequentemente, os serviços que elas demandam. “O IoT é o coração da digitalização e da conectividade, isso fica muito claro quando temos a internet em todos os mercados e segmentos hoje no Brasil”, completa.

Não é de hoje que quando se fala em tecnologia, se fala em serviços. Com o crescimento da tecnologia, os empreendedores que dominam essas tendências agora terão a oportunidade de inovar em seus negócios. “Existem diversas soluções e aplicativos que podem ser facilmente usados por computadores e celulares para encontrar serviços. Exemplo disso são as entregas de comida, serviços de beleza, de doações, entre outros tantos”, explica o presidente da ABINC.

Na pandemia a solidariedade foi, em disparado, o assunto mais falado na internet e dentro das casas. Tanto para encontrar formas de ajudar ONGs com doações, ajudar um vizinho ou até mesmo ser ajudado. A Happy Help, plataforma que estimula a troca de talentos, conhecimentos e habilidades entre as pessoas, por exemplo, nasceu para facilitar a criação de redes de apoio e promover a colaboração em todo o Brasil, seja para os negócios, a saúde, o bem-estar e muitas outras ofertas de ajuda.

De acordo com a fundadora da plataforma, Manuela Schmidt, historicamente os brasileiros costumam praticar a solidariedade de uma maneira recorrente. Por isso, considerando o impacto que a pandemia trouxe para a sociedade, a Happy Help se tornou uma forma eficaz de aproximar as pessoas em tempos de isolamento social. "O brasileiro tem consigo, provavelmente por motivos culturais e por sua diversidade, uma tendência a colaborar. Acreditamos que faltava uma ferramenta para fazer isso acontecer mais facilmente, para que essa generosidade possa ser partilhada entre cada vez mais pessoas”, explica.

Ainda durante este período de isolamento, o consumo de streaming se tornou um hábito diário, - de acordo com um estudo divulgado pela Nielsen Brasil em parceria com a Toluna, 42,8% dos brasileiros assistem a conteúdos de streaming todos os dias. Por isso, diversas empresas começaram a investir neste tipo de plataforma, incentivadas pelos novos comportamentos dos consumidores. É o caso da ZapMusic, primeira plataforma de streaming por assinatura voltada para os profissionais e fãs do violão do Brasil, com lançamento marcado para abril de 2021. A concepção surgiu após uma pesquisa realizada pelo Music Trades em 2019, que mostra o Brasil como um dos países que menos vendem e gastam com produtos musicais no mundo.

Utilizando tecnologia de ponta, cultura nacional e artistas renomados na área, a ZapMusic vai apresentar em seu catálogo documentários sobre grandes violonistas brasileiros, webséries diversas que vão desde ritmos brasileiros, mercado de trabalho, violão pelo Brasil, entre outros. “Dificilmente é possível encontrar na internet produções audiovisuais completas, certificadas e de qualidade, focadas nos grandes violonistas do passado. Por isso queremos apresentar esses conteúdos de uma forma moderna, em uma plataforma digital. Pretendemos criar uma rede própria, com o objetivo de reunir uma comunidade que está muito espalhada em um lugar só, juntando concertistas, professores, alunos, amadores e entusiastas. Queremos criar a casa do violonista”, afirma Leandro Alvarenga, CEO da Prime Arte, empresa realizadora do projeto, especializada em audiovisual e tecnologia.