INOVAÇÃO ÁGIL em 90 dias


Inovar não é mais uma opção! É sobrevivência.  Algumas empresas ainda pensam que a inovação está centrada no departamento de P&D. Outras, seguem caminhos de desenvolvimento informais que exigem atos de heroísmo individual ou uma dose pesada de SORTE. Esforços sucessivos para impulsionar a inovação por meio de, digamos, hacktons, prêmios em dinheiro para conceitos “fora da caixa e forças-tarefa repetidas  inúmeras vezes…. nem sempre se mostram frutíferas. As boas ideias permanecem escondidas na cabeça dos colaboradores ou parceiros, e os conceitos desenvolvidos não são necessariamente os melhores e, maior parte das vezes, desalinhados com às prioridades estratégicas.


Os resultados do processo de inovação, quase sempre, estão ABAIXO da expectativa!!! Isto cria a sensação que inovar  é uma tarefa monumental. E, em muitos casos, é necessário envolver estruturas organizacionais robustas, novas contratações e investimentos substanciais.


Nada disto é verdadeiro!


Nos últimos 23 anos, tenho trabalhado fazendo processos de inovação se tornarem realidade nas empresas de todos os portes e de vários setores. Trazendo os resultados esperados e mudando o MINDSET da organização para o MINDSET de inovação ou MINDSET digital.


Como é que isto funciona?


Simples!


Em 90 dias de trabalho árduo e times multifuncionais, o resultado aparece. Os times se engajam e criam um processo de desenvolvimento que tem na autonomia e na colaboração molas propulsoras para resolver  GAPs operacionais digitalizando os processos existentes. Quem faz a conexão dos pontos e desenvolvimento é um mentoria firme que corrige rotas e impulsiona para voos mais elevados de criatividade e de risco. Além, de ajudar na adequação e na pesquisa das  tecnologias exponenciais disponíveis para resolver os requisitos do desafio e cumprir prazos e as entregas de cada etapa.


O resto é fácil!


O esquema abaixo resume DIGITALIZAÇÃO ÁGIL de 90 dias criado pela IMAGINAR SOLUTIONS aplicado na indústria Atlas.


Foram 6 projetos entregues para digitalizar a fábrica e suas operações de varejo digital.  Os projetos são pilotos para serem escalados assim que implantados e testados na operação. As soluções variaram desde uma plataforma de treinamentos de líderes online, realidade aumentada para melhorar o índice de qualidade na principal área da fábrica, geo-localização para distribuição no eco-sistema de parceiros e inteligência artificial para previsibilidade de produção diferenciada no canal de varejo. Estes pilotos irão economizar com sua implantação algo em torno de 5 a 10 milhões de reais na operação. Além, de abrir portas para novos caminhos e implantações de tecnologias em outas áreas


Do dia 1 – 10 – Definição dos GAPS. São definidas as prioridades e os critérios/investimentos junto com o Conselho ou com a liderança da empresa. Tipos de resultados esperados, ou seja, estrategicamente, todas as inovações ou são inovações que ampliam os negócios de hoje, aprimorando as ofertas existentes ou melhorando as operações internas. Ou, são inovações que geram novo crescimento e que irão buscar novos segmentos de clientes ou novos mercados, geralmente através de novos modelos de negócios.

Do dia 10 -30  – Definição do desafio. Necessário aprofundar o entendimento do problema , avaliar qual o pedaço do problema será possível resolver dentro do prazo estabelecido pela liderança.  Normalmente, os times reconhecem os sintomas, porém têm dificuldade de reconhecer a causa raiz do problema. Com a escolha mais assertiva do problema a ser resolvido, os times terão que pesquisar quais tecnologias existem disponíveis para resolver o problema escolhido.

Do dia 30 -50   – A gama de possibilidades de tecnologias e de start-ups é enorme. O time precisa se dividir para pesquisar entender a aplicação de cada ferramenta, entender o tipo de investimento, adequar dentro do orçamento – se é que existe algum orçamento disponível!!!. Na maioria das vezes o orçamento é limitado.  E fazer as escolha da tecnologia e do parceiro. Esta é a fase de maior expansão de conhecimento digital. A busca é intensa. O time aprende a trabalhar em equipe e confiar no trabalho dos membros da equipe. Autonomia é fundamental


Do dia 50 -70   – Desenvolvimento da solução. As áreas envolvidas na solução precisam fazer parte da discussão para avaliar possíveis resistências ou barreiras no processo.  Aqui normalmente acontece uma nova rodada de solução criativa de problemas, pois as barreiras sempre acontecem. E às vezes, o time tem recomeçar com a busca de uma nova tecnologia ou parceiro.


Do dia 70 -90   – Fase final do projeto é o protótipo para ser testado na operação ou no mercado. O tempo é relativamente curto para prototipar e testar. Os times que conseguem antecipar sempre saem ganhando, pois o teste na operação envolve outras áreas que não têm as mesmas prioridade. Passou no teste, a solução está pronta para ser implementada. Agora, só falta quantificar os benefícios da solução.  Não adianta achar a solução se não souber VENDER a solução. Está na hora do PITCH para a liderança que acontece na APRESENTAÇÃO FINAL.


Cada time apresenta a sua solução em no máximo 5 minutos. Um desafio! Nem sempre conseguem… O conceito de vender a essência de uma solução não é tão simples para quem foi treinado no mundo linear de apresentações em ppt que duram uma eternidade! Mais desafiador é apresentar os números relativos ao problema e o benefício quantificável. Por quê? O MINDSET só quantifica o que eu conheço e sei. QUANTIFICAR o que ainda não existe é mais complicado!


Serviço: Consultoria que sua empresa pode contratar direto na loja BL em condições especiais: Academia Business Leaders - Inovação Ágil em 90 dias


Por Solange Mata Machado é diretora-executiva da Imaginar Solutions. Doutora e mestre em inovação e competitividade pela FGV com pós-doutorado (pós-doctor) em neurociência aplicada à tecnologia pela UFMG. Engenheira elétrica com BS pela Universidade Columbia (EUA) e especialização em empreendedorismo e inovação pela Universidade Hitotsubashi (Japão), pela Universidade Renmi da China, pelo Technion – Instituto de Tecnologia de Israel, pela Universidade Yale (EUA), pela Babson College (EUA) e pela Creative Education Foundation (EUA). E contribui com o portal digital Business Leaders e palestrante do Business Leaders Fórum