Um dia qualquer em 2030


Recebi semana passada um post do jornalista, escritor e consultor brasileiro Ethevaldo Siqueira um dos nomes mais respeitados no Brasil na área de  telecomunicações, eletrônica de entretenimento e novas tecnologias da informação. Achei interessante o olhar do futuro, principalmente a percepção dos sinais de novas possibilidades. Mudanças de hábitos do consumidor no futuro – dicas para se pensar em INOVAÇÃO.


Ethevaldo hoje com 88 anos faz a reflexão para 2030, dez anos a frente, quando ele já terá completado 98 anos, perto de se tornar um centenário. As reflexões apresentadas no texto refletem o dia-a-dia de um centenário que continua ativo e que usa a tecnologia para torná-lo mais saudável e longevo no futuro.


Ethevaldo Siqueira (texto original de 2005, agora atualizado)


6:30 da manhã. Hoje é segunda-feira, 28 janeiro de 2030. Acabo de acordar ao som da Pastoral de Beethoven e de cantos de pássaros, com imagens de primavera projetadas no teto de meu quarto. Depois do alongamento, faço minha meditação, apoiado em um audiovisual que traz mensagens bíblicas. Devidamente espiritualizado, corro ao chuveiro, com temperatura programada para um banho de verão de apenas três minutos.


A água de meu banho é totalmente reciclável, como acontece com toda a que usamos aqui em casa. Por isso, as calhas do beiral captam a água da chuva, que é armazenada, purificada e reaproveitada. Há anos, aderi à energia solar, hoje captada por placas fotovoltaicas de maior eficiência.


Mudança de hábito 1 –  Meditação e mindfulness para atingir níveis superiores de cognição e saúde mental

Mudança de hábito 2 – sustentabilidade do planeta- maior uso de tecnologias de energia limpa – maior conscientização do uso da água e a energia de fontes renováveis

8:00 horas — Após o desjejum, começo minha rotina diária de trabalho. Com mais de 90 anos, sou, felizmente, um exemplo de longevidade e boa saúde. E ainda posso trabalhar seis horas por dia, no mínimo, na produção de artigos e pesquisas sobre tendências tecnológicas. Em lugar de meu PC, tenho agora um Multicom, um terminal acionado por comando vocal, a 15 Gigabits/segundo.


Nesse terminal, faço entrevistas por meio de videoconferências interativas, com apoio um novo sistema de inteligência artificial que traduz automaticamente mais de 30 idiomas, e, creiam, com surpreendente precisão. Na semana passada, entrevistei um astronauta chinês que está na nova estação espacial de seu país. Ele falava mandarim e eu, português.


Mudança de hábito 3 – tecnologia de comando de voz – toucheless  aliada a inteligência artificial . Um estudo do Google Mobile Voice de 2014 mostrou que 55% dos adolescentes usam a pesquisa por voz pelo menos uma vez por dia e 89% concordam que os assistentes pessoais são o futuro. Ex: Alexa, Siri, Cortana, etc.

Mudança de hábito 4 – Exploração espacial – A SpaceX, empresa fundada por Elon Musk em 2002, atualmente está estimada em mais de US$ 20 bilhões de dólares e pretende levar pessoas para Marte em 2024. Já a NASA, trabalha e acredita que essa conquista será possível próxima a 2030. Além da SpaceX, Virgin Galactic (fundada por Richard Branson) e Blue Origin (fundada por Jeff Bezos) são empresas que também se preparam para levar turistas além da órbita do nosso planeta. A Virgin já vendeu mais de 700 passagens antecipadamente, custando cerca de US$ 250 mil cada.

9:30 horas— Neste horário, começo a escrever, ou melhor, a ditar meus textos no terminal Multicom. Há mais de cinco anos aposentei o teclado e aderi ao comando vocal. No canto superior da tela de meu terminal, há uma área destinada a pesquisas instantâneas. Nela posso checar a qualquer dúvida ou buscar informação sobre história, economia, física, astronomia ou dezenas de outros temas.


Minha principal ferramenta de pesquisa agora é, em português, o CTI (Conhecimento Total Internacional), ou, em inglês, TIK (Total International Knowledge) — criado como um dos incríveis subprodutos da famosa 5G, a quinta geração das comunicações móveis, um sucessor dos antigos bancos de dados. Com o CTI, posso acessar e pesquisar o conteúdo da gigantesca biblioteca virtual mundial, que armazena mais de 500 milhões de livros de todas as culturas.


Os tradicionalistas podem ainda usar as versões multimídia de enciclopédias como a Britannica, Larousse ou Espasa-Calpe. Até para minhas pesquisas pessoais, o CTI me ajuda a localizar artigos que publiquei neste Estadão, como o de domingo, 7 de janeiro de 2001, com o título de “2005: Um Dia Típico em Minha Vida”. Ou minha cobertura da chegada do homem à Lua, em 1969.


A qualquer hora do dia ou da noite e em segundos, o CTI pode selecionar para jornalistas, o que há de mais relevante no noticiário geral ou no noticiário especializado, em escala mundial. Com ele, acesso o portal do Estadão — que se tornou um jornal totalmente digital, assim como os maiores jornais do planeta: New York Times, Financial Times, The Guardian ou Japan Times. O mundo já tem um protótipo de um novo CTI, acionado pelo pensamento ou códigos mentais — coisa que, ainda em 2020 parecia pura ficção.


Mudança de hábito 5 – entrada da tecnologia 5G – 5G proporciona um aumento de 20x a velocidade do 4G. Segundo CEO da TIM, a chegada do 5G no Brasil pode movimentar R$ 23 bilhões em 10 anos, aumentando o PIB em 1% e criando 200 mil empregos formais. Sun Baocheng, da Huawei no Brasil, afirmou que a rede 5G deve contribuir US$ 289 bilhões para a economia mundial até 2025. “O 5G vai permitir que muitas indústrias digitalizem seus negócios, trazendo ganhos na produtividade,” Além de permitir a criação de projetos colaborativos em várias áreas integrando conhecimento globais como o CTI mencionado no artigo.

11:00 horas— Chegou a hora de minha videoconferência internacional, uma entrevista exclusiva com Elon Musk, um cavalheiro famoso, que hoje tem 59 anos. Com entusiasmo, ele faz um balanço da evolução de sua empresa, a Tesla, hoje na área de transportes coletivos, com trens que flutuam sobre colchão magnético. Muito a contragosto, ele fala sobre o desastre da primeira missão da SpaceX a Marte.


12:30 horas Hora do almoço. No cardápio quase não há produtos de origem animal. Só duas exceções: peixes e crustáceos, e apenas uma vez por semana. Carne vermelha nem pensar. Terminado o almoço, retomo o trabalho no terminal Multicom, para concluir um artigo sobre a evolução recente da Inteligência Artificial (IA), bem como seu impacto na economia brasileira.


Mudança de hábito 6 – mudança nos hábitos alimentares. Um dos avanços que será percebido nos próximos anos com as viagens espaciais é a entrada de novos alimentos no mercado desenvolvidos para possibilitar a sobrevivência em outros planetas. Em uma estação de pesquisa na Antártida, foi possível cultivar vegetais em um ambiente projetado sem sol e sem solo. A equipe reuniu cerca de 8kg de produção de seus primeiros rendimentos, incluindo ervas, alface, rúcula e rabanetes vermelhos. Na Finlândia, a startupSolar Foods desenvolveu um método para produzir proteína em pó a partir de CO2 e ingredientes químicos como fósforo. A solução pode ajudar na produção de alimentos nutritivos de forma sustentável na Terra. E, também pode se tornar uma solução viável para astronautas com recursos limitados. As grandes empresas produtoras de alimentos estão atentas à esses desenvolvimentos?

Comprovo, com números, que neste início de 2030 o Brasil já utiliza intensamente recursos de Inteligência Artificial, assim como os de Computação em Nuvem e Internet das Coisas. E saibam: o mundo tem hoje mais de dois trilhões de objetos conectados.


16:00 — Chegou a hora de meus contatos internacionais. Posso optar dois novos satélites geoestacionários, especiais para Internet de alta velocidade, a 5 Gigabits por segundo, que me permitem baixar o conteúdo de um livro digital de 200 páginas em apenas 25 segundos. A grande sensação desde 2026, são os serviços da ITS, a Internet-in-the-Sky, baseada no Teledesic, o sistema de 288 satélites de órbita baixa, que cobrem praticamente cada metro quadrado do planeta.


Mudança de hábito 7 – Constelação de satélites – Teledesic foi uma empresa fundada na década de 1990 para construir uma constelação de satélites de comunicações comercial para serviços de Internet banda largaAtualmente existem cerca de 2.200 satélites ativos trafegando ao redor da Terra. Projetados para os próximos anos: constelação Starlink —  SpaceX —  12 mil até 2025. A empresa britânica OneWeb projetando  2.000. Amazon tem uma constelação de 3.200 naves espaciais planejada.

18:00 — Como abolimos o jantar tradicional, vou fazer apenas uma levíssima refeição: uma sopa de baixas calorias e uma fruta de sobremesa. A maioria das pessoas está conscientizada sobre os problemas da obesidade. Até as escolas ajudam nessa área e orientam as pessoas como reeducar seus hábitos alimentares.


Mudança de hábito 8 – Mudança no papel da educação na vida das crianças e adultos – aprendizado será feito em qualquer lugar e em qualquer momento. A diversidade dos temas será feita em função dos interesses individuais dos alunos. Segundo Gary Bolles da Singularity University educação do futuro deverá enviar  Skills + Mindset. Skills longitudinais essenciais: resolver problemas, adaptabilidade, criatividade e empatia 

23:00 horas – Chegou a hora de dormir. Não temos mais insônia, com os diversos indutores do eletrônicos a acústicos do sono aprovados pela medicina. O meu indutor preferido usa com música suave, especial, que desliga automaticamente após dez minutos, tempo suficiente para que eu já esteja dormindo como um bebê.

Boa noite, leitores de 2020.


Mudança de hábito 9 – Uso da tecnologia para controle da ansiedade e estresse. A neurociência já tem trazido contribuições importantes para criar ressonância física, mental e emocional com o aprendizado de técnicas de coerência cardíaca e técnicas meditativas. A IMAGINAR SOLUTIONS já uso HOJE, estas técnicas para maximizar a cognição em times de inovação, ou em pessoas estressadas que estão se sentindo limitadas física e emocionalmente no dia-a-dia profissional

Por Solange Mata Machado é diretora-executiva da Imaginar Solutions. Doutora e mestre em inovação e competitividade pela FGV com pós-doutorado (pós-doctor) em neurociência aplicada à tecnologia pela UFMG. Engenheira elétrica com BS pela Universidade Columbia (EUA) e especialização em empreendedorismo e inovação pela Universidade Hitotsubashi (Japão), pela Universidade Renmi da China, pelo Technion – Instituto de Tecnologia de Israel, pela Universidade Yale (EUA), pela Babson College (EUA) e pela Creative Education Foundation (EUA). E contribui com o portal digital Business Leaders e palestrante do CIO Leaders@digital